Hallstatt na Áustria: visita à mina de sal mais antiga do mundo

Hallstatt é uma cidade conhecida como a jóia da Alta Áustria, escondida em meio a alpes, presenteada com um belo lago. Cenário perfeito de um conto de fadas. Assim é o vilarejo de Hallstatt. Além disso, nela está localizada a mina de sal mais antiga do mundo! Este é o assunto da dica de hoje, visitar a mina cuja formação geológica se deu há milhares de anos atrás.

453

Essa cidadezinha pacata e bela esconde uma riqueza além da beleza exposta a todos na paisagem perfeita. Nossa dica é visitar a mina de sal de Hallstat, a Salz Welten. Dá para chegar lá de carro a partir de Salzburg, que foi o que fizemos. Acredito que de carro é bem menos cansativo do que ir de barco, sem contar que é muito mais rápido. Pela rodovia B158, percorre-se 72km em cerca de 1h30, a estrada é ótima, é claro. Quando começa a se aproximar do vilarejo, a estrada fica mais sinuosa, bem no meio das montanhas, e parece que Hallstatt está bem escondidinha entre elas. Um cenário deslumbrante. Num tempo em que o comércio de sal movimentava toda economia, tanto que deu nome a Salzburg e é daí que vem a palavra “salário”, sua importância era enorme.

Reserve seu hotel aqui pelo Booking.com

booking-com

454
Lago Hallstätter See em Hallstatt

Hoje em dia está disponível para visitação, e o passeio já começa ao pegar o funicular que sobe 855 metros até o topo da montanha da mina. Só a vista que ele proporciona já valeria, com o deslumbrante Lago Hallstätter See como pano de fundo. Lá de cima é possível ter uma visão panorâmica de Hallstatt.

colagem
Funicular de Hallstatt

Tanto o ticket para o funicular quanto para a mina podem ser comprados na hora por cerca de 24 euros. A visita à mina dura de 2h a 3h. Começa quando chegamos no alto da montanha e passamos pela Rudolf´s Tower, uma bela casa que virou residência do então gerente da mina, e que hoje em dia funciona como restaurante. Tem uma ponte que vale muito a passagem, que vista! Há diversos pontos lá em cima, numa espécie de trilha, por onde se pode passar e demorar mais ou menos tempo apreciando e lendo sobre o local nas placas informativas. Depois de caminhar mais um pouco, chegamos na entrada da minha onde é formado o grupo do tour e onde recebemos as primeiras explicações.

476

480
Rudolf´s Tower

478

Veja também:

Tour da Noviça Rebelde em Salzburg
Mirante nas Montanhas de Hoher Dachstein na Áustria

 

Recebemos uma roupa especial, tipo um macacão, para poder fazer o tour e aguentar o frio. A roupa fica meio pesadona porque a gente veste por cima da nossa própria vestimenta, mas protege bem.

DSC00544
A roupa para proteger do frio

Quando entramos na mina, parece que um outro mundo é descortinado. A guia vai nos levando por túneis e cavernas, muitas vezes tão escuro que a lanterna da guia é necessária. Ela vai explicando como era a extração de sal, sua importância, nos leva a salas com exemplos de pedras de sal cristalizadas, vemos alguns poços também. Um dos pontos mais bacanas do tour é numa ala escura em que um vídeo é exibido. A projeção é incrível e o vídeo sobre toda a história do lugar muito intetessante. Dentro da mina, algumas áreas são um verdadeiro museu. Foi nesse local que encontraram o “Homem de sal”, que estava perfeitamente conservado por causa do mineral. Também encontraram ali fósseis do período neolítico, comprovando que a mina é a mais antiga, com cerca de 7.000 anos de existência. Em uma determinada era, todo aquele local era coberto pelo mar. Entre as explicações da guia, podemos provar um pouco da água do sal, que ela garante que faz muito bem para saúde.

Nova Imagem A
Entrando na mina

colagem 2

 Claro que a parte mais divertida são os tobogãs de madeira. Durante o tour, andamos bastante, subimos, descemos, pegamos uma espécie de trenzinho que percorre corredores super estreitos (são pequenos vagões do tipo que os mineiros usavam ao trabalhar), tudo isso para ir passando de um nível a outro lá dentro. E existem dois tobogãs que fazem a alegria dos visitantes. Muito legal!

DSC00539
Um dos tobogãs da Salz Welten

Após aprender tudo sobre a mina de sal, a última parte da visitação nos leva de trenzinho até o ponto mais baixo, e somos transportados fora da montanha, com toda aquela bela paisagem verde ao redor. Lá dentro não sentimos muito porque como é um sobe e desce grande, a gente perde um pouco a noção do quanto nos afastamos do ponto inicial. Ao retornar, entregamos os uniformes e recebemos como lembrança um pote em miniatura de sal do local. Uma graça!

20150316_211530

Desde 1997, Hallstatt foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, comprovando que esse é um local precioso e que vale a pena visitar. Ao sair do tour, aproveite para caminhar pelas ruazinhas com casinhas que parecem de boneca (nem precisa de mapa), admire os graciosos cisnes do lago, emoldurado pelas montanhas perfeitas, e pare em algum restaurante, café ou confeitaria para saborear a comida típica da Áustria: schitzel e apfel strudel!

1
Casas e a igrejinha encravadas na montanha
502
O centrinho de Hallstatt

Esse é o tipo de programa em cidades pequenas europeias em que o mapa é mesmo desnecessário, basta ir caminhando sem pressa e apreciar todo o cenário de encanto que a Europa Central nos proporciona.

A

Faça seu seguro viagem aqui pelo Real Seguros

realseguro


Rodapé posts

 

Anúncios

2 comentários em “Hallstatt na Áustria: visita à mina de sal mais antiga do mundo

  1. Bom dia Monica!

    Estou planejando ir a Hallstatt em Novembro. Estou com muito pouco tempo e por isso terei de fazer o bate-volta a partir de Salzburgo, onde chegarei no dia anterior e dormirei apenas 1 noite. Você chegou a se hospedar em Hallstatt ou deu pra ver tudo durante 1 dia? Tem estacionamento por perto quando chegou lá? É pago? Sabe se tem pedágio na estrada de Salzburg para lá? Sabe se essa estrada pode ficar fechada por causa de neve? Será que dá pra voltar pra Salzburgo e ainda pegar trem para Viena no final do dia? Desculpe tantas perguntas… é que eu vi em outros blogs, que muita gente faz de ônibus + trem + barco, e que além de caro também é demorado fazer assim. Obrigado!

    1. Olá Rodrigo,
      Fiz o bate e volta, nao me hospedei. Vi tudo num dia, de manhã tour da mina de sal, almoço e à tarde no museu, caso tenha interesse. Ainda deu para passear pelo centrinho e ver o lago. É uma cidade pequena. Tinha um grande estacionamento mais ou menos perto de onde parte o funicular. Era pago mas confesso que não lembro quanto custou. O pedágio na Áustria é cobrado da seguinte forma, vc compra o selo chamado vignette de acordo com o período que vai ficar no país, e assim pode rodar por onde for lá. Geralmente loja tipo tabacaria em posto de gasolina vende o selo. Acredito que a estrada pode fechar por causa da neve sim, pois a estrada até chegar lá passa por tipo uma serra. Em novembro o dia escurece bem mais cedo por causa do inverno, então a visita a cidade fica mais “curta” se for feita num dia só. Por isso não sei se vc conseguiria ver tudo num dia e se daria pra pegar trem. Fui de carro alugado pq visitamos tb outros países, aí valeu a pena. Espero ter ajudado
      Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s